O site da Cabral Moncada Leilões utiliza Cookies para proporcionar aos seus utilizadores uma maior rapidez e a personalização do serviço prestado. Ao navegar no site estará a consentir a utilização dos Cookies.Saiba mais sobre o uso de cookies

Sessão única | December 14, 2020  | 406 Lotes

1/3

euro_symbol€ 500 - 750 Base - Estimativa

gavel€ 750Vendido

chevron_leftLote anterior 39 chevron_rightLote seguinte

A. GAMEIRO - SÉC. XIX Sem título (O preto caiador) óleo sobre tela reentelado, pequena falta na camada pictórica assinado Dim. - 56 x 43 cm Notas: tratar-se-á da mesma figura retratada por José Malhoa e vendida na Cabral Moncada Leilões em Setembro de 2019 - leilão 201, lote nº 164, a que se referia o texto do Prof. Doutor Nuno Saldanha, adiante transcrito: "Bem documentado em diversas fontes, literárias e iconográficas, desde o século XVIII, o "Preto caiador" foi uma das figuras mais populares das ruas da Lisboa oitocentista, embora a possamos também encontrar noutras cidades do país, bem como no Brasil. Segundo refere António Francisco Barata, em 1877, habitavam as ruas sinuosas do Bairro do Mocambo, em particular, numa travessa estreita junto ao Convento das Trinas, com casinhas de um andar, ou sobrelojas, muito bem caiadas, que davam à travessa uma certa alegria. Já no século XIX, era mais comum encontrá-los no Rossio, onde esperavam os fregueses, ou circulando pela cidade, com a sua cana e o "bião da cal", de que se conhecem diversas gravuras e ilustrações. Entre as imagens de ofícios desempenhados por africanos em Lisboa, Júlio César Machado e Fialho de Almeida descrevem precisamente três: "O Preto Caiador", o "Preto de S. Jorge", e a "Preta do Mexilhão". Estamos, sem dúvida, a vários níveis, perante uma pintura de grande valor ... pelo carácter documental, social e antropológico, através da figuração do quotidiano e dos costumes de Lisboa dos finais do século XIX."

Mensagem