O site da Cabral Moncada Leilões utiliza Cookies para proporcionar aos seus utilizadores uma maior rapidez e a personalização do serviço prestado. Ao navegar no site estará a consentir a utilização dos Cookies.Saiba mais sobre o uso de cookies
Leilão Online 450 Anos de Manuscritos e Autógrafos (1501-1950)
Inicia 5 de Março de 2019 às 12h00
Encerra 11 de Março a partir das 21h00

ATENÇÃO - Encerramento adiado para dia 13 de Março a partir das 21h00

Informações sobre o Termo do leilão
A licitação dos lotes encerrará, progressiva e sequencialmente, com intervalos de 15 segundos entre cada lote, a partir da hora prevista para o termo do leilão.
Todavia, nos casos em que seja recebida uma ordem de compra (licitação) para determinado lote até três minutos antes da hora do termo do leilão, a “Cabral Moncada Leilões” prolongará automaticamente a licitação desse lote durante mais três minutos, contados a partir da hora de apresentação da última ordem de compra (licitação); e assim sucessivamente. O encerramento da licitação de cada lote em concreto estará indicado junto ao mesmo.

O prolongamento da hora de encerramento da licitação de qualquer lote não afectará a dos lotes seguintes, o que poderá resultar no encerramento dos mesmos fora da sua ordem numérica.

chevron_leftLote 29 chevron_right

D. JOÃO IV (Rei de Portugal).- Alvará régio.- Século XVII (1648)

1/2

euro_symbol€ 80Valor base

doneMar 13, 2019 9:07:44 PMTerminado em

gavel€ 100Vendido


  • Título / DesignaçãoD. JOÃO IV (Rei de Portugal).- Alvará régio.- Século XVII (1648)
  • DescriçãoD. JOÃO IV (Rei de Portugal).- Alvará régio.- Século XVII (1648).- 2 f.; 30 cm. Alvará pelo qual D. João IV faz mercê a João Moniz Barreto de o tomar no foro de fidalgo da Casa Real com 1.066 réis de moradia por mez e um alqueire de cevada por dia. Documento (bifólio) datado de Lisboa, 12 de Agosto de 1648. Assinaturas autógrafas: Rey; Marq[ue]z M[ordo]mo. Mor. Conserva um traslado, em pública forma, do século XVIII (1797), com capilha e fitilho. Proveniência: Colecção Manuel Empis de Lucena.

Mensagem